quinta-feira, 15 de novembro de 2007

MAR... CÉU...

Olhei para ele e não compreendi. O que será que havia atrás de seus olhos? Quando criança, achava que os olhos eram grudados no cérebro, melhor, encaixados, como uma lâmpada a um bocal. Nele, deve ser desse jeito também.

Não fosse o fato de eu já tê-lo visto durante pouco mais de um ano, jamais acreditaria em seus trejeitos corriqueiros e, ao mesmo tempo, incomuns; a sua voz me é estranha, entretanto a reconheço nas escassas vezes que ele a liberta; seu sorriso tem um quê de malícia, simpatia, timidez, ironia, tudo isso junto, nenhuma dessas coisas também. A versão masculina da Monalisa. O que será que ele pensa? Por que será que ele é assim? Por onde passa, deixa indagações... Eu o vejo todos os dias? Ele deve saber de muitas coisas ou desconhecê-las a ponto de se isolar em um universo que ninguém conseguirá ver suas formas, pensamentos, sonhos e, principalmente, sua figura transitando dispersa e falante para os lados e depois para o centro e para distâncias que confundem os olhos.

Perguntei se o livro que estava lendo era bom, obtive uma resposta vaga, imprecisa. Tentei ler a sinopse, tudo em inglês – sabe falar inglês, uma informação, gosta de esportes – bem, quase todos os homens gostam, soube outro dia. Era um clássico, o livro, obra pela qual dediquei devastadora curiosidade. Apesar de seu silêncio confuso, fez-me proveitosa indicação. Então, conheci Kafka.

De onde pode ele ter vindo? Das profundezas do mar, a suprema incógnita, onde reina o mistério? Caíra junto com um pedaço do céu, por isso tão distante, aéreo, tranqüilo? Mesmo assim, é incompreensível, falta um elo que realize a união entre o seu ser e o seu existir.

Talvez ele seja alguém especial, talvez não. Muito estranho. Pensei no seu nome e tive vontade de sorrir, pois as palavras, às vezes, não têm sentido algum, quando repetidas diversas vezes. Aliás, nem sei mais se este é realmente o nome dele...

6 comentários:

kassianobre disse...

"Quando criança, achava que os olhos eram grudados no cérebro"

Eu tb achava isso!! =D

belo texto, bom de ler... =D

bju

Estêvão dos Anjos disse...

ele é um tipo de psicipata, estilo akeles americanos. observa td n fim vai exterminar a turma..ele junto com o rivison

medo!

bju

Marcelo Candido disse...

"A versão masculina da Monalisa."

Gostei dessa definição, tanto é que coloquei no meu perfil do orkut!

Beijo Paulinha, e mais uma vez obrigado por ter escrito algumas palavras sobre mim!

Lívia Russo disse...

"seu sorriso tem um quê de malícia, simpatia, timidez, ironia, tudo isso junto, nenhuma dessas coisas também"


eu adorei essa parte que eu destaquei...=D
paulinha, algumas vezes são tantas informações que a gente fica atodoada com tudo isso...eu gosto!
Depois é que são eles =x
mas não saber nada algumas vezes é saber tudo...tudo o que interessa: ele e vc!

:*
:*
:*
muito foda o texto...dá licença!! ahsuahushais

Lívia Russo disse...

mudou a cor...
xD
atualiza quando, flor??
:*
:*
:*

Rívison disse...

Pintou um clima.. hmmmm...