domingo, 11 de novembro de 2007

BEIRA DO MAR

A praia estava quase deserta e a luz do sol já ia se perdendo no horizonte. Usava um vestido azul, que se estendia até os tornozelos, com uma fita de cetim, da mesma cor, abaixo dos seios. Não queria pensar em como se chamava, hoje não estaria para ninguém, talvez fosse o efeito do cansaço causado pelos açoites da vida ou apenas pela vontade de se esconder no nebuloso véu que seus pensamentos formavam.

Duas órbitas alvas tingidas no centro com o mais puro mel, ainda lembrava de como um velho mendigo descrevera seus olhos em um ponto de ônibus. Ajoelhou-se e sentiu a brisa fresca acariciar o seu rosto, aquele momento era um misto de saudade, aflição e felicidade, com uma ansiedade estranha e um pouco de sede. Sono, também...

Seus pés delicados deixaram uma pegada disforme na areia, isso prendeu sua atenção, estaria ela dando passos errados? Não, nada a ver, nada de coisas complexas! Era melhor desenhar peixinhos, oitos, espirais, casinhas, borboletas, estrelas e flores. Aquela praia era lugar para esquecer, deixar a cabeça dispersa para assuntos incômodos.

Havia um menino tentando fazer um castelo de areia, as ondas sempre o derrubavam e ela ria dos pulinhos rebeldes que o indivíduo pequeno dava. Resolveu ajudá-lo, levou um NÃO sonoro dele e um olhar repressor de sua mãe. Saiu caminhando pela beira do mar, a água estava fria, apressou os passos e correu, parou, olhou para trás e falou para si mesma: “Aqui sou simplesmente eu, ninguém mais, apenas eu!”.

E ali ficou, por um tempo que lhe pareceu infinito, repetindo a mesma frase como que a um mantra. A imagem das pessoas ali presentes estava borrada, todos eram esboços e a mulher de azul, talvez uma parte do céu, talvez uma parte do mar.

Um comentário:

Lívia Russo disse...

Ahhh e quem sabe ela nem vem pra terra e faz felicidade brotar nos muros desconhecidos????
.
.
.
liindo....quero que os véus entrelaçem os rostos umedecidos...
quero que não os enxugue, pois é liindo ver o sentimento no céu, ver o sentimento no mar.
.
.
.
beijos querida e vc escreve tão beeeeemmm
que feliz!!
:*
:*
:*